Crónicas

Think inside of the box? [pt-BR]

Caros amigos e amigas, há já algum tempo que a minha escrita sobre temas da sociedade actual tem estado suspensa, muito devido à minha grande paixão tecnológica que me leva a querer partilhar com a comunidade informática artigos que possam auxiliar os meu homólogos espalhados pelo globo a não passarem pelas mesmas dificuldades que eu venho a passar durante a minha experiencia profissional.

(mais…)

Anúncios

Entrevista Revista Forum Estudante Maio 2012

Aqui fica a referencia a uma entrevista dada por mim como aluno da Universidade Portucalense, em Abril de 2012 e que foi publicada em Maio de 2012. Essencialmente é um resumo daquilo que a Universidade oferece aos seus alunos e aquilo que eu soube e pude usufruir. Falei das minhas experiências como monitor dos laboratórios de informática do 1º ano, a viagem de Erasmus à Lituânia e as minhas bolsas de mérito. Brevemente haverá mais novidades acerca da minha pessoa na TVI. Até lá.

Link Para Download: GPE2012_WEB

Visualizar revista forum estudante Maio 2012: http://www.forum.pt/revista.php?title=Guia%20Pratico%20do%20Estudante&webname=gpe2012_web

 

“Na minha opinião, porque é que acho que a segurança é muito importante para a Microsoft”

Muitos de vocês e tal como eu já se devem ter deparado aqui ou ali com este pensamento e a resposta mais comum será a de que ficará mal a uma empresa tão grande e tão conceituada desenvolver um produto e um simples informático conseguira entrar no programa e roubar dados de utilizadores se esse for o caso mas eu vou mais longe. O que vos sugiro aqui é um exercício mental que vos vai ajudar a relaxar e ao mesmo mesmo a compreender a preocupação da Microsoft com a segurança na minha opinião. Pois então aqui vai, imaginem que Microsoft é um empresa de gado, onde se criam as vaquinhas, se lhes tira o leite para vender e nalguns casos os animais em prol do futuro humano são abatidos enviados para os talhos para comercializar. Agora imaginem que por alguma razão, aquando de um normal passeio de pasto uma das vacas por culpa de um touro  solitário do vizinho passa uma terrível bactéria ao nosso animal e esta por si quando em contacto com as nossas restantes vaquinhas lhes passa a bactéria. Quando algo deste género acontece é necessário que existam formas de detectar as bactérias a tempo senão o leite que formos beber nas nossas casa estará contaminado e poderá prejudicar a nossa saúde, a carne que formos comprar nos talhos também estará contaminada e por fim mais uma vez nós estaremos contaminados e a Microsoft como empresa de Gado terá falhado e poderá mesmo fechar. A Microsoft não cria gado mas produz software no entanto sempre me pareceu que desenvolveu software como se este fosse um animal ou seja como se o consumo daquele aplicativo pudesse por em causa a nossa saúde e como com a nossa saúde não se brinca a Microsoft aplica todos os recursos que tem para evitar que o seu software possa ser derrubado por um vírus e que alguém possa por em causa a saúde, neste caso confiança dos consumidores no trabalho que desenvolvem com software Microsoft.

Tecno-Optimismo é Essencial! Já o diz Bill Gates.

Há muitos anos que a questão da utilização de energias renováveis de discute entre os entendidos a nível internacional, desde engenheiros a cientistas, passando por arquitectos e urbanistas, todo o tipo de especialistas se envolve nesta discussão fulcral para o futuro da espécie humana.

Como em todos os sectores do conhecimento, também esta discussão evoluiu hoje em dia para um nível superior, começa a nascer o debate entre os” techno-optimists”, como o caso de Bill Gates, que defende que muito mais dinheiro deve ser gasto em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia de modo a estimular a inovação e utilização de energia limpa e no outro extremo os que defendem um uso mais agressivo da tecnologia existente sem nos preocuparmos com o ser limpa ou não.

Esta facção é, como de esperar, essencialmente constituída por aqueles que trabalham em empresas existentes no mercado da indústria de petróleo e gás e argumentam que não existem milagres com a capacidade de transformar a energia do dia para a noite.

No meu ponto de vista e como estudante das novas tecnologias, preocupo-me com uma correcta utilização dos recursos que me colocam à disposição para o exercício da minha profissão. Gosto de saber que estou a estudar para criar algo inovador, colocá-la no mercado e obter retorno que me permita sustentar a mim e à minha família, mas quero dormir de consciência tranquila e saber que não prejudico nada nem ninguém naquilo que faço.

Há uma tribo amazona que diz “Não herdamos as nossas terras dos nossos pais mas pedimo-las emprestadas aos nossos filhos”, assim sendo não nos devemos preocupar em cuidar e preservar o que nos deixaram mas sim preservar e mais importante melhorar aquilo que os nossos descendentes vão usar no futuro.

Somente com este pensamento optimista face à tecnologia, de que a pudemos usar da maneira correcta e descobrir cada vez mais formas de melhorar a qualidade de vida do ser humano com o recurso às máquinas e não prejudicar o ambiente é que algum dia viveremos sem a preocupação do aquecimento global ou do degelo glaciar ou do buraco do ozono.

Estado pouparia 121 milhões se mudasse do Windows para um S.O. livre (OU Não!)

Recebi ha pouco tempo numa das newletters da Exame Informática esta noticia que de acordo com a ANSOL o Estado poderia poupar, pelo menos, 121 milhões de euros se optasse por software livre. A Associação Nacional para o Software Livre somou os custos de cinco compras de licenças à Microsoft.

Tudo isto é muito bonito mas bastante mais complexo do que o que esta associação enuncia, além de os utilizadores  estarem habituados a usar o Windows e Office, acabam por usar também o SharePoint, o Exchange, como servidor de email , a base dados SQL e até mesmo o antivirus desenvolvido pela multinacional Microsoft. Mas o problema estende-se muito para além da habituação dos utilizadores, isto porque esta questão mais ou menos morosa teria sempre solução, o meu problema prende-se com os custos da alteração e manutenção de um SO face ao outro.

Lembrem-se que o estado representa centenas senão milhares de funcionários, cada um deles com o seu computador e respectivo Sistema Operativo, assim sendo, imagine-se a quantidade de problemas que não devem existir somente num dia, convenhamos que grande parte da população portuguesa consumidora de tecnologia não a sabe usar da melhor maneira, e o ideal Linux, um bom exemplo de um SO livre, já não é o que era.

Antigamente era robusto, seguro conseguindo-se atingir o pretendendido, um SO que embora fosse simples, sem um grande ambiente gráfico, não tivesse bugs nem “crachasse”, mas a partir do momento em que se utiliza um ambiente gráfico como o do actual Ubuntu 10.04, por omissão o GNOME, bastante pesado, com muito consumo das capacidades do processador, da memória RAM e da GPU, a ocorrência de bugs e problemas aumenta exponencialmente e eu questiono-me quem pagaria o arranjo dos computadores nesse caso? Eu respondo, o Estado!! Quem daria formação sobre a utilização do novo Sistema Operativo? isto porque praticamente são uma minoria os portugueses que alguma vez utilizaram Linux! Eu respondo, o Estado!! Quem pagaria a formação para utilização do novo Office? Eu respondo, o Estado!! Quem pagaria a mudança de Sistemas Operativos, do Windows para Linux, ou outro qualquer livre, em todos os computadores existentes? O Estado!! Quem pagaria a assistência técnica para os Sistemas Operativos ? O Estado!! E mais importante de tudo, quem é o estado? Todos nós!! Logo, quem pagaria toda esta mudança?  Todos nós!! E quem está com problemas mais graves neste momento com que se preocupar? Todos nós!!

Poderia até ser uma solução a ter em conta, mas não neste momento, não no estado actual das contas do País. O custo da alteração de um Sistema Operativo para outro pode revelar-se bastante caro, mesmo que este seja gratuito. Deve-se portanto ter em conta a altura em que submete uma empresa à mudança, quanto mais no governo de um País! Talvez seja melhor ter em conta que os contractos que o estado faz com a Microsoft contemplam assistência técnica, formação em determinados contextos, Software recente, software com que todos sabem lidar (Se não sabem rapidamente alguém lhes explica, pois não falta quem trabalhe com tecnologia Microsoft), etc… Deste modo reduz-se os custos à quantidade de licenças adquiridas.

Novo Ipod nano da Apple

A apple acabou de lançar o novo ipod nano e a surpresa é grande para quem já o viu,  neste novo ipod a apple mudou radicalmente a sua estratégia, desde que conheço a marca que tentam agarrar um determinado publico alvo, mantendo posteriormente os produtos iguais ou parecidos ao longo dos upgrades que lhes vão fazendo, passou-se com o mac book e o mac pro recentemente, há muito tempo que a carcaça é a mesma, mudam é componentes do sistema. O próprio ipod nano tem vindo a ter alterações importantes mas facilmente identificavamos o produto entre as várias versões das várias gerações. Dá a entender que a apple pretende mudar um pouco a imagem rigida que tinha à uns anos tornando-se mais irreverente a cada ano que passa fazendo com que os seus consumidores anseiem furvurosamente pelos novos produtos enquanto nem sequer desconfiam como serão. A minha opinião pessoal é que o novo ipod nano agora nada mais é do que um ipod shuffle com ecran, perdeu a sua wheel tão caracteristica e a forma rectangular que era identificativa do produto, mas como nos últimos anos a apple surpreende tudo e todos com produtos banais ou já existentes no mercado a venderem milhões mais que a concorrência, não me surpreende que este novo ipod atinga vendas históricas, não nos pudemos esquecer que o público alvo da apple bem analisado consiste num grande grupo de pessoas com vontade de serem únicos por serem diferentes e consumirem apple. Esta foi uma guerra ganha à uns anos pela marca, conseguindo incutir nos seus consumidores o sentimento de pertença a um grupo restrito e priviligiado que usufrui de tecnologia de ponta em designs de topo, embora nem sempre seja verdade, tal como é neste caso, na minha opinião claro.

As Redes Sociais

Sinto-me na obrigação de escrever em Post em defesa das redes sociais porque se começa a ver hoje em dia a ideia de que as redes sociais são um problema para quem as usa, que retiram a capacidade sociar do individuo e que retiram muito tempo a quem as usa. Como se deve esperar sou completamente a favor das redes sociais por motivos que mais à frente irei enunciar no entanto também devo dizer que já fui céptico em relação a este conceito mas certo dia ao ler uma frase de Jean-Paul Satre que disse “Para conhecer os homens, torna-se indispensável vê-los agir.”, parei e pensei que as redes sociais mais do que permitirem criar e manter uma rede de conhecimentos absolutamente essenciais nos tempos que correm, nomeadamente o tempo da oportunidade no qual ou se tem conhecimento daquela acção, evento ou entrevista e se está naquele sitio à hora certa ou então já se perdeu uma oportunidade única, podem também dotar-me da possibilidade de observar a verdadeira personalidade das pessoas senão vejamos, o facebook permite-nos constatar que actividades um individuo pratica, que música ouve, qual o seu percurso académico e até os relaccionamentos que mantém. Esta é uma componente importante mas ainda mais importante é a possibilidade que temos de todos os dias ler comentários que “todos para todos” enviam, perceber como se relaccionam, o que estão a pensar no momento, onde estão e até para onde vão. Eu leio as redes sociais como o espelho da nossa pessoa, são o recepiente das coisas boas e más que nos acontecem ao mesmo tempo que em tempo real obtemos ajuda dos nossos amigos ou então partilhamos uma alegria. Recentemente pudemos ver o Cristiano Ronaldo, famoso jogador de futebol a publicar no Facebook que tinha sido pai, isto só comprova que gostamos de partilhar tudo e de tudo com os outros e a melhor forma nos tempos que correm é pelas redes socias. Concluindo, pegando em tudo isto e acrescentando que nós somos a soma das nossas experiências, Satre fez-me ver que as redes sociais são a melhor forma de me conhecer a mim, conhecendo melhor quem me rodeia. Quanto ao tempo que as pessoas gastam nas redes sociais, bom isso é o reflexo do sentimento de alguém que pratica uma actividade que gosta, hoje em dia temos uma  autentica vida dentro da Web e quando a vida corre bem quem não a quer viver intensamente?

O futuro já não é o que costumava ser!

Esta frase celebrizada por Arthur C. Clark, um famoso escritor e inventor britânico do inicio do século XX, diz bastante sobre o meu receio de ingressar o mundo do trabalho. Faltam dois anos para esta minha aventura mas quantas vezes me ponho a pensar no tempo dos meus avós ou dos meus pais, tempos esses em que apesar de serem dificeis, das lutas que travaram para ter a dita liberdade dos tempos contemporaneos, o futuro reservava sempre os espaços para os manter filhos da sociedade e os ajudar a crescer e constituir familia. Hoje em dia, nos meus tempos esse futuro morreu, lutamos anos e anos para ter uma licenciatura, um mestrado ou até um doutoramento e nada, bem estes últimos até se safam a dar aulas nas Universidades ou a serem directores de grandes empresas, já para os mestres de bolonha a coisa também vai andando mas para os licenciados a vida paga-se bem cara, é uma luta constante quer para tirar a licenciatura quer para obter trabalho e no final quantos não são os que lutam para se aguentar firmes e confiantes. Apesar de todo este texto continuo bastante confiante naquilo que o futuro me reserva, além de confiante espectante dado que até agora a minha vida tem dado uma volta de 360º desde que passei a estudar Informática. Vejo portas a abrir e o futuro a sorrir. Arthur C. Clark também disse um dia “Pode ser que o nosso papel neste planeta não seja adorar Deus mas sim criá-lo.”, pois arthur eu respondo-te dizendo que talvez o nosso papel neste planeta não seja esperar pelo futuro mas sim criá-lo!

Experimental Adaptive Keyboard

Experimental Adaptive Keyboard – Um teclado cujas teclas são dinamicas contendo cada uma delas um mini ecran onde pudemos ver quais as funçoes atribuidas aquela tecla naquele momento pudendo por exemplo quando carregamos na tecla do Windows alterar nas suas funções. Esta tecnologia foi criada num concurso para …estudantes, ora nem mais, onde estes criam inovações tecnologicas. Este projecto é apoiado pela Microsoft o que é sempre bom, para qualquer estudante universitário cheio de ideias o principal entrave à criação de novos produtos ou o melhoramento de alguns já existentes é sempre a falta de dinheiro e apoios. De qualquer forma deixo o video onde pudemos ver esta tecnologia que nada mais é do que “meia duzia” de teclas colocadas estratégicamente em cima de um ecran tactil. Isto só nos mostra que para criar algo único não é preciso desenvolver produtos completamente novos e passar anos em volta da engenharia da coisa, basta ter ideias e muita imaginação, aproveitar produtos simples já existentes e aplicar bastante do nosso tempo.

Link para video: http://www.youtube.com/watch?v=n0MEhKk9xg4&feature=player_embedded